Sr. do Bonfim: Comissão na Câmara aponta que 3 pessoas entraram no gabinete de Moge e levaram computadores e documentos

0
246



Oficialmente a mesa diretora da Câmara de Vereadores de Senhor do Bonfim, ainda não se posicionou. Levantamento feito pelo blog do Walterley, apurou que o chefe do setor de patrimônio do legislativo local, encaminhou relatório ao presidente da casa, detalhando a “invasão” no gabinete do vereador Hermógenes Almeida.

Segundo apurado, três pessoas, foram até a Câmara Municipal, ao vigilante, informaram que participariam de uma reunião com representantes do Consórcio do Piemonte Norte do Itapicuru.

Entraram em um veículo que ficou estacionado na parte interna da Câmara, local onde ficam os carros oficiais.

Ficou apurado que as três pessoas, foram até o gabinete do vereador, preso um dia antes. No local, levaram CPUs e vários envelopes, o curioso, é que eles tinham a chave do gabinete  e a secretária do vereador, já tinha cumprido a sua carga horária e não estava lá no momento, o que leva a crer que mesmo preso, Hermógenes teria autorizado a retirada do material de seu gabinete, delegando a tarefa a pessoas de sua máxima confiança.

Segundo informam, a própria assessora, teria imaginado que estranhos tivessem invadido o gabinete para roubar, tamanha surpresa ficou ao chegar para exercer sua função.

O relatório, apresenta uma cronologia com horários, e muito bem detalhado. Ficou também apurado, que o presidente da Câmara, vereador Cleiton Vieira, encaminhou o documento ao setor jurídico, que de provas concretas do ocorrido, registrou a ação como um crime considerado muito grave.

O relatório baseia-se nas gravações feitas pelo próprio sistema de vídeo, que registrou toda a movimentação da “invasão”.

Ainda segundo informações, a retirada dos documentos, seria uma forma de apagar provas e evidências que poderiam colocar o vereador Moge em uma situação ainda mais delicada com relação aos crimes por ele cometidos e que estao sendo investigados.

A Polícia Civil, entrou em cena e está investigando o caso. O relatório, por determinação do presidente, teria sido encaminhado as autoridades do judiciário local.

“Há fortes indícios que as três pessoas envolvidas ne episódio, estariam obstruindo a justiça, atrapalhando as investigações com a prática de eliminação de provas”. Confirmou uma fonte.

A CPU retirada é tombada pelo patrimônio público e pertence ao município, não poderia em hipótese alguma, ser levada sem uma autorização oficial.

Aguarda-se conclusão da investigação para saber o desfecho final da chamada “invasão de gabinete”, e se de fato, ocorreu a obstrução da investigação, aguarda-se também, a liberação do vídeo e os nomes das três pessoas que aparacem na gravação.

A população espera ansiosa por uma resposta quanto ao fato ocorrido.

SEM COMENTÁRIO