SISMUSB e SINTESB reivindicam direitos dos servidores públicos municipais de Sr. do Bonfim

0
155

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Senhor do Bonfim (SISMUSB) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Senhor do Bonfim (SINTESB) realizaram uma reunião com os representantes dos trabalhadores para discutir o estado de greve em prol dos direitos dos servidores. A discussão acerca da realização de uma greve surgiu após diálogos realizados entre o SISMUSB, SINTESB e a Prefeitura de Senhor do Bonfim, pois ao ter conhecimento dos problemas apresentados pelos Sindicatos, a gestão municipal não adotou nenhuma medida para solucioná-los.

O SISMUSB e o SINTESB reivindicam a reposição do piso salarial dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), dos Agentes de Combate a Endemias (ACE), e dos professores, caso a situação não seja resolvida pela Prefeitura de Senhor do Bonfim, os Sindicatos entrarão com ação judicial representando os servidores para que seus direitos sejam respeitados conforme determina o artigo 8, III, da Constituição Federal de 1988. O Sindicato também pretende denunciar o prefeito Carlos Brasileiro por improbidade administrativa, pois o gestor não efetua o pagamento do 13º, direito social dos trabalhadores expresso no artigo 7º, VIII, da Constituição Federal de 1988 e não fornece Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), garantidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O presidente do SISMUSB, Raimundo Nonato de Oliveira, destacou que “Após algumas reuniões tentando negociar o reajuste salarial dos servidores, o prefeito Carlos Brasileiro se negou a nos receber e alegou que não poderia cumprir com as leis da reposição salarial. Assim, estamos em estado de greve para tentar convencer o prefeito Carlos Brasileiro a rever suas alegações e negociar. Caso isso não aconteça, entraremos em greve, para que todos saibam que estamos lutando pelos nossos direitos”.

O vice-presidente do SINTESB, Adailton de Souza, ressaltou que o estado de greve é importante para tentar garantir o direito do reajuste salarial dos professores. “Desde janeiro esse reajuste deveria ter sido feito, pois o próprio prefeito criou uma lei em 2017, na qual mudou a data base para negociação salarial de maio para janeiro, mas este ano, já estamos chegando ao mês de setembro, e a prefeitura não nos chamou para negociar”.

Souza complementou ainda que “A prefeitura não se preocupa, nem se sensibiliza com a causa do trabalhador. Por isso, a nossa intenção é mobilizar os servidores públicos municipais para que despertem para a luta, que não é apenas da diretoria dos sindicatos, mas de toda a coletividade”.

A reunião contou com a participação do presidente e da tesoureira do SISMUSB, Raimundo Nonato de Oliveira e Sônia Lúcia de Santana, respectivamente; do presidente e vice-presidente do SINTESB, Janilson Torquato e Adilson de Souza, respectivamente; do presidente dos Agentes Comunitários de Saúde de Senhor do Bonfim (AMACS-SB), Josemar Nascimento; da servidora Zenaildes; e do assessor jurídico, Lúcio Sá.

SEM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário