Homem que anunciava falsos empregos em site para estuprar mulheres confessa 13 crimes em Salvador e região metropolitana

0
117


O homem que foi preso suspeito de estuprar mulheres que se candidatavam a falsas vagas de emprego oferecidas por ele, na internet, confessou ter cometido 13 estupros em Salvador e região metropolitana. Ele foi apresentado pela polícia em uma coletiva feita nessa sexta-feira, 11.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações apontam que, o suspeito, identificado como Luís Alberto dos Santos Farias, de 35 anos, cometeu, pelo menos, 40 estupros. Ele foi preso na quinta-feira, 10, em um centro comercial na Avenida Octávio Mangabeira, onde trabalha como auxiliar de serviços gerais.

Os crimes ocorreram entre fevereiro e setembro deste ano. Segundo a delegada Thais Siqueira, titular da 18ª Delegacia Territorial (DT) de Camaçari, que conduziu as investigações, Luís Alberto foi encontrado após cometer um estupro em um carro e abandonar o veículo atolado em uma região de brejo em Camaçari, no dia 23 de setembro. A vítima, que não teve a identidade revelada, levou os policiais até o local onde o carro estava.

Conforme a SSP, o veículo tem restrição de roubo e placa clonada. Luís Alberto costumava roubar, estuprar as vítimas e abandoná-las após os crimes.

Conforme as investigações, o suspeito procurava as vítimas a partir de anúncios de emprego em um site de anúncios. Em seguida, se passava por motorista do suposto contratante inventado por ele e dopava as mulheres para cometer os crimes.

De acordo com a delegada Fernanda Porfírio, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), mais vítimas ainda podem aparecer. “Se trata de uma investigação que iniciamos durante o carnaval deste ano, com registros em diversas unidades de Salvador e RMS. Ele confessa 13 estupros e acreditamos que esse número pode aumentar”, disse, em nota, a delegada Fernanda.

A Polícia Civil informou, ainda, que, com o suspeito, foram apreendidos medicamentos, coldre para arma, um comprimido de estimulante sexual, além de uma balaclava preta, que é uma touca para cobrir a cabeça.

Luís Alberto já tinha sido preso em flagrante por estupro, em 2007, e tem uma condenação por receptação de veículo roubado. Ele está à disposição da Justiça e vai ser encaminhado para o sistema prisional.

SEM COMENTÁRIO