Reportagem Especial: sanfoneiros e cantores lamentam o São João 2020, ser apenas virtual

0
45

Foto: Ney Vital

Por causa da pandemia, para evitar o avanço do coronavírus, as manifestações populares dos festejos juninos foram canceladas em várias partes do País. Com as festas juninas suspensas, o jeito foi criar uma nova forma de marcar o mês, com arraiais virtuais. O professor Aderaldo Luciano, formado em Letras, tem mestrado e doutorado em Ciência da Literatura pela UFRJ, avalia que esse São João treme, mas não cede. “Maltratado São João por todos os lados, desde os governadores, prefeitos sem compromisso com a cultura, idiotizados, bestas funéreas, a outros torturadores da cultura tradicional brasileira”.

Na Bahia, o São João foi cancelado em todas as cidades. No fim de abril, o governador Rui Costa decretou o mês sem festa, para tentar conter a contaminação pelo coronavírus.

O feriado regional de 24 de junho foi antecipado para 25 de maio, uma segunda-feira, junto com a independência do Estado, folga transferida para 26 de maio, num feriadão para inibir a circulação de pessoas.

A data pode ter sido antecipada, mas a festa não deixou de acontecer, ainda que timidamente. Em Juazeiro, Bahia, o cantor e compositor Flávio Baião, um defensor autêntico da cultura, com os olhos cheios de lágrimas, puxou a sanfona, em sua casa.

“Nunca vi São João sem foguete, sem fogueira, tric-trac, ronqueira busca pé e balão, sem adivinhação, milho assado e canjica, sem sanfoneiro, pra mim nunca foi São João, sou doidinho por São João no meu lugar”, declama Flávio Baião, ressaltando que os versos de João Silva, agora são proféticos.

Nascido em Juazeiro no ano de 1968, Flávio Marcelo Mendes da Silva, o Flávio Baião é a síntese de um seguidor do forró feito por Luiz Gonzaga, Trio Nordestino e Dominguinhos. Ele é fiel ao valorizar o nome artístico que ganhou: Flávio Baião.

“Os sanfoneiros já viviam na peleja de tocar nos principais palcos das festas juninas antes da pandemia. Este ano vai faltar o chiado da sanfona, a batida da zabumba e o zunido do triângulo, nas grandes aglomerações no nosso Nordeste. Vai ter forró virtual para amenizar mas isto não é São João”, lamenta Baião.

Para manter a tradição, no dia de Santo Antônio, 13 de junho, o cantor e compositor Targino Gondim, faz uma live especial  do Dia dos Namorados, às 16hs, Show Sem Limites Pra namorar, no seu canal de youTube.

Direto da sua casa na Praia do Forte, Ivete Sangalo prepara um grande arraial virtual para seus fãs, no dia 20. Durante a transmissão da cantora, que poderá ser vista no canal da cantora no YouTube e Instagram @ivetesangalo, haverá espaço para pedidos de doações a instituições de caridade.

Especial para o Jornal O Estadão, uma reportagem de Nathalia Molina e Levy Teles, destacou os preparativos da cantora Elba Ramalho para os festejos juninos virtuais deste ano.

“No mês de junho tenho Deus por testemunho, com meu violão em punho, vou fazer meu São João.” Gravados por Elba Ramalho, os versos de Moraes Moreira na canção São João na Estrada ganham outra dimensão em 2020. A cantora, cuja imagem praticamente se mistura à das festas populares do meio do ano, vive um junho diferente.

“Estarei num outro tipo de estrada e, quem sabe, atingindo mais gente ainda”, declarou Elba ao Jornal Estado de S.Paulo. Ela participa no dia 23 de uma live promovida por Campina Grande, Paraíba para comemorar o São João virtual.

A cidade paraibana, dona de uma das principais festas do País, adiou o evento para outubro, em vez de cancelar, como ocorreu em outros municípios que tradicionalmente realizam festejos em junho. Eles foram suspensos para impedir aglomerações e conter o avanço do coronavírus no País. “É muito difícil sob todos os aspectos.”

O Nordeste vive e respira São João, mas a pandemia é maior que tudo no momento”, afirmou Elba. “Vou fazer o meu São João do jeito que for possível e vou tentar compartilhar ao máximo. As nossas vidas mudaram, o mundo está mudando e a festa vai ter de mudar.”

Celebrações de São João não estão previstas neste mês de junho, mas pode preparar o bolo de milho e o quentão que a animação está garantida na quarentena. Não apenas quem faz os eventos todo ano tem de se adaptar à realidade atual. O público também vai aprender a dançar em um novo arraial: o virtual.

A festa virtual de Campina Grande, assim como a promovida por Mossoró (RN), tem a intenção de arrecadar doações para as famílias afetadas pelo cancelamento dos eventos, fundamentais para a economia dos municípios.

“O nordestino passou por muitas dificuldades, mas é alegre. Sempre faz acontecer, mesmo nas dificuldades. Teremos um mês atípico, mas com muita esperança, em que as famílias irão se reunir, com culinária à base de milho, em volta da mesa para ver as lives dos artistas”, diz Rosália Lucas, secretária de Turismo de Campina Grande.

SEM COMENTÁRIO