WhatsApp vai bloquear usuário que não aceitar nova política de privacidade

WhatsApp dá explicações sobre o que acontecerá aos usuários que não aceitarem a nova política de privacidade, prevista para maio.

0
77

Imagem: Haberlernet/Flickr

De acordo com o comunicado ao qual o site especializado teve acesso, “por um curto período de tempo”, os usuários até vão receber chamadas e notificações. Mas não poderão ler e nem enviar mensagens pelo aplicativo caso não concordem com a atualização dos termos.

O informe também traz um link para uma página de ajuda com a mesma explicação enviada por email. “O WhatsApp não apagará sua conta, mesmo se você não aceitar a atualização dos Termos de Serviço até essa data. Entretanto, você não poderá usar alguns recursos do WhatsApp até aceitar essa atualização”, afirmam.

A página ainda apresenta opções aos usuários. O primeiro tópico informa que é possível aceitar os novos termos após 15 de maio. Entretanto, o mensageiro diz que irá aplicar a política relacionada a usuários inativos. Segundo a regra, “o WhatsApp geralmente apaga contas que permanecem inativas por mais de 120 dias”.

“O conteúdo armazenado no aparelho do usuário antes de a conta ser apagada será mantido até que o usuário apague o WhatsApp de seu aparelho”, diz a política. “Se o usuário registrar-se novamente no WhatsApp com o mesmo aparelho, o conteúdo armazenado no aparelho voltará a ficar disponível”.

A segunda opção aconselha a exportar dados e histórico de conversas antes de 15 de maio. “Se preferir, você poderá apagar sua conta no Android, iPhone ou KaiOS, mas esperamos que você reconsidere essa decisão”, dizem. O WhatsApp, porém, alerta que esta “ação é irreversível” pois removerá backups, mensagens e o usuário dos grupos.

Imagem: Robert Cheaib/Pixabay

WhatsApp: novas regras geram reação negativa

O email veio a público em meio à polêmica envolvendo a nova política de privacidade do WhatsApp. Previsto anteriormente para entrar em ação em 8 de fevereiro, os termos foram adiados para 15 de maio. Antes de alterar a data, o mensageiro até chegou a se pronunciar para conter a repercussão negativa. Mas isto não impediu que mensageiros concorrentes ganhassem destaque.

É o caso do Telegram. O aplicativo não só disparou nas lojas de aplicativos ao lado do Signal, como chegou a 500 milhões de usuários em meados de janeiro. A equipe do mensageiro até implementou um recurso para importar conversas do WhatsApp.

Na semana passada, o WABetaInfo apresentou imagens de um novo aviso destinado a quem ainda não aceitou os termos. O objetivo da notificação é oferecer informações mais claras sobre as mudanças no serviço e as informações que são compartilhadas com o Facebook.

O comunicado deve começar a ser enviado aos usuários em breve.

SEM COMENTÁRIO