Dia Mundial da Conscientização do Autismo foi destaque no programa Bonfim Notícias desta quinta (01)

0
53

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) atinge uma em cada 160 crianças, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Apesar do Dia Mundial de Conscientização do Autismo ser celebrado em 2/4, na edição desta quinta 1/4 do programa Bonfim Notícias do canal iTVê foi abordado o dia e a campanha Abril Azul que busca trazer visibilidade para o tema durante todo o mês, como forma de mobilizar a sociedade sobre essa condição ainda desconhecida e discriminada por muitos.

Durante a edição foram exibidos vídeos produzidos pela Fundação José Luiz Egydio Setúbal, Instituto Pensi e Sabará Hospital Infantil que explica o que é o Transtorno do Aspectro Autista, além do vídeo com produção do ‘Estadão’ com participação do apresentador Marcos Mion mostrando o seu envolvimento na causa autista.

Em entrevista ao vivo o vereador de Senhor do Bonfim, Cleiton Viera, que tem um engajamento muito grande em relação ao autismo, falou sobre a importância de conscientizar a sociedade sobre o autismo, suas ações e principias projetos em prol dessa classe.

Em relatos emocionantes, mães que fazem parte do ACASB – Associação de Crianças Autistas de Senhor do Bonfim, falaram sobre o Autismo e as características dessa condição especial, destacando que não é uma doença, ou seja, ninguém precisa se afastar de um autista. Pelo contrário: é preciso entender para incluir e ajudar.

O intuito do Bonfim Noticias foi mostrar como o Autismo deve ser divulgado para a sociedade, a fim de que o autismo ganhe cada vez mais visibilidade. Assim, as entidades do setor público e privado devem se mobilizar e participar dessa campanha para que as pessoas com TEA tenham voz, sejam respeitadas e consigam fazer parte da sociedade, bem como ter os seus direitos garantidos. Em resumo, é essencial dar voz ao autismo, levando informação para a população e, desse modo, reduzir o preconceito.

O Abril Azul também tem o papel de pressionar governos para que mais políticas públicas se voltem para esse grupo — como acesso às terapias e serviços de saúde, apoio às famílias, inclusão escolar e também ao mercado de trabalho.

Assista: 

SEM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário