Leo Prates aposta que Carnaval 2022 não deve acontecer em Salvador sob os moldes antigos; “ambiente controlado”

0
21

Foto: Jefferson Peixoto/Secom PMS

O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, disse que não acredita, em 2022, na realização do Carnaval sob os moldes antigos, com pessoas nas ruas sem nenhum controle. A declaração foi dada nesta quarta-feira (17/8) no programa Cidade Aratu, da TV Aratu.

O titular da SMS enumerou alguns pontos para sustentar sua fala, a exemplo da disseminação das variantes do coronavírus. Para ele, o cenário mais provável é a realização da folia momesca sob rígida fiscalização.

“[Seria Carnaval] em ambientes abertos, com entrada controlada, exigindo duas doses da vacina. Se você me perguntasse, eu apostaria no ambiente controlado. A Holanda chegou a isso, mas cometeu o erro de tirar as máscaras. Apostaria em um modelo diferente. Não vamos passar essa pandemia, afinal temos países com 10% da população vacinada e isso é um ‘paraíso’ para novas variantes”, comentou.

Ainda de acordo com Prates, as outras duas possibilidades “na mesa” – na realização plena, sem restrições, ou o cancelamento, assim como em 2021 – são mais distantes, pelo menos neste momento. “Já autorizei aqui na pasta licitações para fazermos o Carnaval. Se ele não ocorrer, vamos cancelar os contratos sem prejuízo para os cofres”.

Mais cedo, durante autorização para obras no Bonfim, o prefeito Bruno Reis (DEM) foi menos cético. “Acredito que vamos ter Réveillon. Acredito que vamos ter Festa do Bonfim e acredito que vamos ter Carnaval. Aprendemos que a vacina é a solução definitiva e que, com todo mundo vacinado, voltaríamos à normalidade. Estamos chegando”.

Ainda durante a entrevista, o chefe da pasta ressaltou que quase 100 mil pessoas aptas a tomarem a vacina contra a Covid-19 ainda não foram aos pontos de vacinação. Houve ainda aumento no número de soteropolitanos que não retornaram para a segunda dose.

SEM COMENTÁRIO