Governo entrega orçamento de 2022 com salário mínimo de R$ 1.169 e sem reforço para o Auxílio Brasil

Proposta também mantém pagamento integral de R$ 89,1 bilhões em precatórios da União.

0
14

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O governo federal encaminhou ao Congresso nesta terça-feira, 31, a Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2022 com salário mínimo de R$ 1.169 — corrigido apenas pela inflação. Atualmente, o salário mínimo é de R$ 1.100. O acréscimo de R$ 69 não apresenta ganho real e representa alta de 6,2%, a previsão da equipe econômica para o aumento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Caso seja confirmado, será o terceiro ano consecutivo que o aumento do salário mínimo é limitado apenas ao reajuste inflacionário. O projeto do Executivo também não traz reforço para o financiamento do Auxílio Brasil, programa social desenhado para substituir o Bolsa Família.

A iniciativa de transferência de renda foi orçada em R$ 34,7 bilhões, o mesmo gasto pelo programa neste ano, com meta de atender 14,7 milhões de famílias. Não há definições sobre o valor das parcelas. O presidente Jair Bolsonaro anunciou no início de agosto que o benefício terá valor 50% maior que o Bolsa Família, chegando a cerca de R$ 400.

Atualmente, o valor médio da ajuda financeira destinada às famílias brasileiras mais vulneráveis é de R$ 190 por mês. “Não tem ampliação do Orçamento nas políticas, e mantendo esse tamanho, o [Ministério da] Cidadania tem que fazer seus ajustes dentro desse novo modelo que está sendo proposto. Agora, pode ser discutido no Congresso alguma ampliação, ainda tem espaço para isso na própria discussão do Orçamento”, afirmou o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal.

SEM COMENTÁRIO