Levantamento do IBGE aponta que serviços recuaram 0,7% de junho para julho na Bahia; índice foi o 10º pior do país

Setor entretanto, teve alta de 28,7% em comparação com julho de 2020. Com relação ao país inteiro, a alta foi de 1,1%.

0
13

Foto: Divulgação/IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (14), que o volume do setor de serviços teve uma queda de 0,7% na Bahia, no mês de julho. Essa diminuição foi em comparação com junho.

Esse desempenho ficou abaixo do nacional, que teve alta de 1,1%, sendo o 10º pior resultado entre os estados brasileiros. Além disso, o recuo mostra um segundo resultado negativo consecutivo, já que o setor também havia tido uma queda de 0,5%, na passagem de maio para junho.

De acordo com o IBGE, o segundo semestre foi iniciado com um patamar inferior, para o setor de serviços na Bahia, se comparado ao que foi registrado antes da pandemia da Covid-19.

A preocupação é que, em julho, o Brasil estava estava 3,9% acima do nível pré-pandemia. Esse foi o patamar mais elevado desde março de 2016. Com isso, o estado baiano segue em direção contrária aos dados nacionais.

No entanto, mesmo com a queda em comparação a junho, os serviços tiveram crescimento de 28,7%, se comparados a julho de 2020, no primeiro período da pandemia. Em 12 meses de acumulado, o serviço na Bahia teve a primeira variação positiva em seis anos: 0,2%. Confira os serviços que tiveram crescimento:

Foto: Divulgação/IBGE

O IBGE detalhou que, desde 2015, o setor tinha recuos seguidos no indicador anual. Mesmo com a elevação, o percentual segue bastante abaixo do nacional, que foi de 2,9%.

Setores

Com relação a julho do ano passado, julho deste ano teve crescimento em quatro das cindo atividades de serviço que mais avançam no estado. A principal delas é o setor de serviços prestados às famílias, que registrou 381,3%.

O segundo maior crescimento foi do setor de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que correspondeu a 35,3%. Esse é o quinto avanço seguido do segmento. Os serviços turísticos também despontaram e cresceram m 6,1%.

Esse percentual é um novo recorde frente a julho de 2020, e registra a maior alta da série histórica e do país, que fechou nacionalmente em 271,7%.

SEM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário