Criança de 1 ano é salva por policial após se engasgar com moeda de cinco centavos na Bahia

Menina foi atendida por agentes da 3ª CIPM, no bairro de Cajazeiras, e teve a respiração desobstruída após ação rápida. Caso aconteceu na segunda-feira (20), em Fazenda Grande 2.

0
36

Foto: Reprodução/TV Bahia

Uma menina de 1 ano e 5 meses se engasgou com uma moeda de cinco centavos na segunda-feira (20), no bairro de Cajazeiras, em Salvador. Familiares levaram a garota às pressas em uma sede da companhia da Polícia Militar, um policial usou técnicas para desobstrução e a garota conseguiu expelir o material.

Jamielen Reis, mãe da menina, disse que as duas estavam sozinhas em casa e, em um momento de descuido, enquanto preparava o alimento da filha, percebeu que a criança estava com a boca espumando.

“Eu estava sozinha com ela no momento. Ela estava de costas para mim. Quando eu virei, vi que ela estava espumando, bem pálida. Entreguei ela a minha mãe e disse que ela estava passando muito mal. Não tinha visto que ela estava com uma moeda na boca”, comentou.

A mulher contou que correu para a casa da mãe, com a filha sem conseguir respirar direito, e vizinhos pediram para ela levar a garota à sede da 3ª CIPM, próximo de onde mora a família. Lá, um dos soldados que atendeu a família notou que a garota estava engasgada e usou o protocolo comum a esse tipo de ocorrência.

“Estávamos encerrando uma operação quando ouvimos solicitações de socorro. O pessoal desceu com a criança na mão e entregou para nós. Como temos especializações, observamos que ela estava engasgada e iniciamos a manobra. Até que observamos que foi expelida a moeda de cinco centavos e a criança começou a respirar”, disse o soldado Copque, que atendeu a garotinha.

O policial explicou como as pessoas devem fazer para desobstruir a respiração e utilizar a técnica em casos de engasgo em crianças.

“De acordo com o protocolo de atendimento pré-hospitalar, colocamos a criança em nosso tronco com a cabeça levemente virada para baixo e vamos dando alguns “tapas” nas costas, como se estivesse empurrando para a frente, observando se está saindo o que está dificultando a respiração”.

A menina foi levada para uma unidade de emergência, passou por exames e foi liberada em seguida.

SEM COMENTÁRIO