Editorial: Aprovadas pelo TCM, contas de Tiago Venâncio são reprovadas na Câmara de Ponto Novo em decisão política

0
49

EDITORIAL – A população de Ponto Novo, ou parte dela, parou para acompanhar o desfecho da história envolvendo as contas do ex-prefeito Tiago Venâncio (PT) na noite da última quarta-feira (20).

No plenário da Câmara, o circo estava armado: de um lado da plateia, apoiadores do atual prefeito, do outro apoiadores do ex-prefeito, no centro da arena, estavam os vereadores e as definições de Casa da Mãe Joana foram atualizadas! O presidente da Câmara teve (e muito) trabalho para conter as manifestações.

A Comissão de Orçamento, Finanças e Seguridade Social da Casa, presidida pelo vereador Arnóbio Carneiro, opinou pela reprovação das contas alegando, entre outros pontos, a falta dos repasses previdenciários ao IPNN. O voto do vereador Bujão, integrante da comissão que foi contrário ao parecer, não foi lido em plenário.

Na defesa do ex-prefeito, o advogado Dr. Manoel apresentou indícios que colocaram em xeque a confiança jurídica do parecer da comissão, já que [palavras dele] “o voto da comissão copia, transcreve o parecer do Tribunal de Contas”.

Mas pensando bem, meu amigo e amiga de Ponto Novo, como pode a comissão repetir todos os apontamentos do TCM e sem fundamentar, chega a uma conclusão oposta? Tem lógica uma coisa dessa, minha gente?

Perguntado pelo advogado de defesa se as cópias da defesa final haviam sido apresentadas aos vereadores, o presidente da Câmara patinou, gaguejou e não respondeu evidenciando uma articulação meramente política que já estava pronta para reprovar as contas do ex-prefeito.

Além da falta da apresentação da defesa final do ex-prefeito aos vereadores, o que já é um absurdo, Tiago Venâncio denunciou que antes que a defesa chegasse à comissão, o parecer votando pela reprovação das contas já estava pronto! É O QUE MENINO? INACREDITÁVEL MESMO!

O ex-prefeito foi corajoso! Compareceu a sessão, teve postura de líder, apresentou provas, usou a palavra e confrontou o presidente da Comissão, vereador Arnóbio Carneiro, que no ano de 2016, enquanto era presidente da Casa, recebeu contas do ex-prefeito Adelson Maia reprovadas pelo TCM e as mesmas foram aprovadas pela Câmara. Denunciou perseguição política e deixou claro: “Isso não vai nos intimidar. Isso vai nos dar mais força para que possamos seguir de cabeça erguida”.

Na hora do voto, a população de Ponto Novo assistiu com mais ansiedade que a votação do impeachment da presidente Dilma em 2016, o vereador Arnóbio de Bezerras ressaltou que se trata de perseguição política denunciando que “Ficou claro o atropelamento legal do processo”. Segundo ele “Houve má fé da Comissão”.

O vereador Nel Maia, que votou pela aprovação das contas, sem dar mais detalhes afirmou que foi chamado para votar contra as contas de Tiago, evidenciando que já havia uma articulação para ‘tirar o ex-prefeito da jogada’.

O vereador Bujão em um dos seus melhores discursos na Casa, criticou o sistema e conclamou o caráter dos vereadores “Vejo um julgamento onde não tem cabimento reprovar as contas do ex-gestor”.

A sessão encerrou com o resultado que foi comemorado com gritos dentro da Câmara e fogos do lado de fora: a reprovação por 8 votos a 3 das contas do ex-prefeito Tiago Venâncio. Algo jamais registrado na história de Ponto Novo: o TCM opina pela aprovação e a Câmara vai contra e reprova as contas.

Todo mundo sabe que nos bastidores, o atual prefeito entrou em campo para pressionar os vereadores de sua bancada para votar pela reprovação das contas a fim de “limar” toda e qualquer chance de uma disputa com seu xará nas próximas eleições, fez jus a fama de ditador e bateu o pé no chão, os vereadores disseram: “amém”.

Não é segredo para ninguém que as contas do Executivo Municipal são votadas por dois critérios: o político e o de interesses pessoais, o que ficou evidenciado na fala do vereador Michel Jonathan ao justificar que votou a favor das contas rejeitadas pelo TCM em 2016 “Votei. Naquela época a política estava de um lado da moeda, hoje está de outro”.

A verdade é que o presidente da Câmara e a maioria dos vereadores assumem [e não é de hoje] uma posição de subserviência, e dizem amém a todos os caprichos do coronel de seu grupo só que como no BBB “O Brasil tá vendo”, em Ponto Novo o povo tá vendo tudo e o tombo vem!

A qualquer momento estamos de volta com o nosso editorial, mais independente que a Câmara de Ponto Novo (risos).

SEM COMENTÁRIO